O contrato do cinema

Inglaterra, 1964, propriedade dos Herbert. O marido planeja uma
viagem de negócios, a mulher planeja presenteá-lo com uma série de desenhos que irão retratar a casa e o amplo jardim em volta e para convencer o desenhista a realizar o trabalho propõe um contrato singular: além do pagamento pelos desenhos
ele terá também casa, comida e a companhia dela no quarto de dormir
até o dia em que o marido retorne
da viagem e os desenhos estejam concluídos.

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway (1982) avança em torno desta trama, atento aos cuidados especiais à redação dos termos do contrato e, adiante, à proposta de inclusão de um aditivo, ditado pela filha dos Herbert, em participar da cláusula relativa ao quarto do desenhista proposta pela mãe.

A ironia e a elegância da narração conferem um interesse especial aos instantes em que em quadro vemos o visor usado pelo desenhista para compor um quadro.

O visor é uma representação do contrato do desenhista, da redação
que sem dizer tudo revela também o que se afirma nas entrelinhas, pela sugestão de que no quadro, na estrutura da composição do texto, se encontra também subentendido o que está fora dele. E ao mesmo tempo,
o visor é uma representação do olhar. Do desenhista. Do diretor do filme.
Do espectador. De uma sensibilidade que firmou com a realidade imediatamente visível um contrato
não muito diferente daquele entre a senhora Herbert e o desenhista.

Assim, a história de The Draughtsman’s Contract é de fato uma linha tênue que conduz um conjunto de imagens em que o olho do desenhista enquadra a paisagem através do visor e a mão traça a lápis em papel quadriculado o que ele vê – o que parece importar de fato são estes instantes em que vemos a mão do desenhista correr no papel e em que o quadro nos mostra o instrumento de compor quadros como gestos musicais, como dança feita para a música de Michael Nyman.

Enquanto passeia pela história do desenhista Neville, da senhora Herbert e de sua filha, a senhora Talman, Greenaway propõe ao espectador uma conversa sobre o contrato que o cinema estabelece com a realidade.

 

> retornar a Objetivo subjetivo

> retornar ao alto da página

>retornar ao Index


The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

 

The Draughtsman’s Contract de Peter Greenaway

escrevercinema - Voltar à Index